quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Para mim

Um blog deixa de o ser quando passa a estar ao serviço da vidinha. Por exemplo, eu era capaz de surpreender o Paulo se lhe dissesse quem eu sou (de acordo com os critérios dele) Sucede que desde o início eu sou: cidadão. Um. A blogosfera, tal como a entendo só vale se for o resultado daquilo que designo por ímpeto de cidadania. Cada um dizer o que pensa. Sem peias. Sem jornais e artigos de opinião a florear e a influenciar. Não quero ser injusto, sucede apenas que estou em celebrações e não tenho tempo para links. Mas, a verdade é que não é só o Paulo que faz do blog caixa de ressonância ou expositor publicitário. Há por aí quem, com mais descrição (á esquerda) faça exactamente o mesmo. E o mesmo é a transferência (o pulo?) da plataforma blog para as formulas tradicionais de comunicação: rádio, tv e disco, nalguns casos mesmo, a cassete pirata. Estão a matar a blogosfera. Será que não entendem seus merdas mesquinhos de espírito??
To be continued

3 comentários:

Nuno Nogueira Santos disse...

Passando do blog ao livro... uma sugestão de leitura
http://avarinhamagicadevalentimloureiro.blogspot.com/

Dinis disse...

Mas podia vir mais a propósito uma merda (ó nuno não se apoquente) destas? Aqui reside o ponto. Eu blogo, tu blogas ele bloga, mas, se me dão licença, vou ganhando umas coroas com isso. Porreiro pá! Por mim... que se lixe, desde que o Sporting ganhe aos Ucranianos ou lá o que é...
Já lhe tinha perguntado: estava em funções em Novembro de 2001?

Dinis disse...

Esquecia-me de dizer que o facto de vir a propósito (como nunca)o comentário do Nuno, resulta do facto de o post do PPM que suscita o meu estar imediatamente precedido de uma "ligação" a autor do livro sobre o Major que acaba por vir aqui parar..
Há coisas fantásticas, não há?
É só confirmar nos próximas horas o www.atlantico.blogspot.com